Tecnologia e Assistência Médica

A Tecnologia e os Cuidados de Saúde destinam-se a servir de fórum para a apresentação de artigos originais e notas técnicas, observando rigorosos padrões científicos. Além disso, mediante convite, são apresentadas críticas, tutoriais, artigos de discussão e minissimposia. O foco principal do THC está relacionado com a sobreposição de áreas de engenharia e medicina. Os seguintes tipos de contribuições são considerados: Confira aqui no site Trendytwins mais sobre saúde.

  1. Artigos originais: Novos conceitos, procedimentos e dispositivos associados ao uso da tecnologia na pesquisa médica e na prática clínica são apresentados a um público leitor com ampla experiência em engenharia e / ou medicina. Em particular, o benefício clínico decorrente da aplicação de métodos e dispositivos de engenharia em medicina clínica deve ser demonstrado. Normalmente, as contribuições originais completas têm um comprimento de 4000 palavras, tendo assim em conta os números e tabelas.
  2. Notas Técnicas e Comunicações Breves: Notas Técnicas referem-se a novos desenvolvimentos técnicos com relevância para a medicina clínica. Em comunicações curtas, as aplicações clínicas são descritas em breve. Ambas as notas técnicas e comunicações curtas normalmente têm um comprimento de 1500 palavras.
  3. Análises e Tutoriais (apenas mediante convite): São apresentados artigos tutoriais e educativos para pessoas com formação médica em princípios de engenharia com particular significado para aplicações biomédicas e vice-versa. O Conselho Editorial é responsável pela seleção dos tópicos.
  4. Minisimposia (somente por convite): Sob a liderança de um Editor Especial, questões controversas ou importantes relacionadas à assistência à saúde são destacadas e discutidas por vários autores.
  5. Cartas aos Editores: Discussões ou declarações curtas (não indexadas).

Tópicos específicos relacionados à engenharia médica e biológica dentro do escopo da revista são:

  • Bioeletrônica, biomecânica clínica, biofotônica
  • Tecnologia de imagem médica, bio-imagem
  • Tecnologia cirúrgica
  • Dispositivos de monitoramento, tecnologia de respiração, sistemas de distribuição de medicamentos
  • Procedimentos diagnósticos e terapêuticos associados à radiação ionizante e não ionizante
  • Órgãos artificiais, biomateriais
  • Engenharia de tecidos, materiais bio-inspirados, métodos moleculares e celulares
  • Dispositivos e instrumentos para uso em reabilitação
  • Telemedicina, e-saúde e técnicas de telefonia móvel para uso em medicina clínica
  • Tecnologia de atendimento domiciliar

Nota: Em consideração ao rápido desenvolvimento da TI médica, a descrição de programas de computador, em particular de IA e procedimentos de aprendizado de máquina, exibindo capturas de tela, código de computador explícito, etc. não é aceita para publicação devido à iminente obsoletude. Da mesma forma, pela mesma razão, os procedimentos de imagem baseada em computador ou de análise de sinal biológico sem demonstração de relevância clínica de longa duração não são adequados para publicação. Além disso, a apresentação de pesquisas e projetos de questionário, muitas vezes apenas com participação local, não está de acordo com os objetivos e escopo da revista.

Texto Baseado no post Technology and Health Care

Como a tecnologia influencia na indústria da beleza

Outra área que é frequentemente impactada pela tecnologia é a área da Beleza.

Uma indústria milionária

Desde sempre a preocupação com a beleza fez parte do universo feminino (e, hoje em dia, também do universo masculino). Lendas de mulheres aristocratas que se banhavam com o sangue de donzelas percorrem inúmeros filmes de terror há tempos.

Também foram encontrados potes do Egito antigo repleto de “sebo” de cabra, possivelmente o primeiro creme de beleza utilizado em escala.

Beleza sempre rendeu assunto

Do Egito antigo até os dias de hoje muita coisa evoluiu. porém ainda é notório que animais são utilizados em testes químicos para novos cosméticos. O que ainda é motivo de muitos protestos ao redor do mundo.

Mas, não se pode negar o avanço tanto em cremes, como em cápsulas.

Praticamente todos os problemas modernos são alvo de algum produto de beleza.

Cremes anti idade, clareadores dentais, redutores de gordura são somente alguns dos exemplos que podemos destacar.

Outro produto que se destaca atualmente no combate à flacidez, e que é repleto de inovações tecnológicas, é o Renova 31.

Onde a tecnologia entra?

Na verdade, o grande avanço da indústria da beleza se deve, e muito, ao avanço tecnológico.

Para se ter uma ideia, hoje já temos gadgets que ficam por dentro de nossas roupas e atuam na redução do odor das axilas.

Muitas camisas especiais para corredores contam com aros de alumínio que, em contato com o corpo, ajudam da dissipação do calor.

Na Alemanha, por exemplo, cientistas descobriram uma maneira de imprimir algas 3D, que poderão, ali adiante, se transformar em ingredientes de cosméticos.

Esmaltes que fortalecem a unha também já são muito comuns.

A Indústria de Alimentos já Aderiu à Onda

Também já temos uma intensa movimentação da indústria de alimentos para uma integração com a área da beleza. Não é muito difícil encontrarmos sucos e isotônicos que prometem reduzir gordura, hidratar a pele, ou reduzir a queda de cabelos.

Porém, essa preocupação não é de hoje. Há alguns séculos, quando os padrões de beleza estimulavam que as mulheres fossem mais “cheinhas” já tínhamos produtos que se preocupavam em oferecer uma pele mais rosada.

Os produtos, além de eficazes, estão sendo desenvolvidos com o intuito de economizar o tempo das pessoas e de reduzir os impactos ambientais, algo primordial em uma era de prevenção e escassez de recursos naturais.

A Tecnologia também preserva a Natureza

Fora que a onda ecológica também chegou na indústria da beleza.

Tanto que a maioria dos tecidos que utilizamos hoje se não são 100% sintéticos, possuem pouca ou muita porcentagem.

Inclusive o couro, que por décadas foi sinônimo de sofisticação e estilo já possui seu equivalente sintético que em nada fica devendo para seu “parente” original.

Fora a preocupação com a biodegradação dos produtos que está cada vez mais em voga. Pois sabemos o quanto esses produtos, ao serem descartados, fazem mal para o meio ambiente.

Técnicas Invasivas também são Impactadas

Isso que nem falamos das técnicas consideradas invasivas, como cirurgias, injeções de botox, drenagens linfáticas.

E outras nem tão invasivas, mas muito utilizadas em clínicas estéticas.

Ou seja, não importa a área da beleza que estivermos falando, todas elas obtém muito mais resultado quando aliadas à tecnologia.

Os Desafios da Tecnologia para Deficientes

A ficção científica sempre esteve anos luz à frente da ciência tradicional. E há muito tempo imaginou como seria a vida das pessoas com alguma deficiência física se transformando.

Ficção Científica sempre esteve à frente

Dependendo do filme que escolhermos, podemos encontrar de tudo, desde transplante de olhos (minority report), até a reconstrução total de membros perdidos (Star Wars).

Já vimos tetraplégicos voltando a caminhar, como nesse comercial onde o ator Christopher Reeves (o eterno Superman) volta a caminhar:

De fato, o mundo da ficção sempre nos serviu de alento para nossas angustiantes perguntas sobre as limitações de nosso corpo físico. E porque, uma vez rompida a ligação de nossa medula com os membros, sua reconexão nunca surtiu efeito…

A Tecnologia Evoluiu

Porém, pudemos assistir maravilhados, nessas últimas semanas, a evolução incrível da ciência, que nos mostrou ser realmente possível, ainda que ainda esteja em estágios muito iniciais de estudos, que pessoas tetraplégicas há anos consigam recuperar seus movimentos.

Como conta a história do Ciclista José Ilson Jr. que ficou tetraplégico após um acidente de bicicleta em 2016.

Após vários dias entre CTI e UTI, ter sido desenganado pelos médicos, muitas cirurgias depois, e inúmeras sessões de fisioterapia. Ilsinho – como é conhecido, voltou lentamente a recuperar os movimentos. Sua história virou um documentário.

Paraplégicos voltam a andar com a ajuda de estimulação elétrica

Recentemente, um estudo que implantou eletrodos na coluna de voluntários mostrou ser possível replicar isso em outros casos.

Esse eletrodo estimula as sinapses naturais entre o cérebro e os nervos dos membros.

chefe de cozinha Jeff Marquis, agora com 35 anos, é um dos casos de sucesso. Aos 28 anos, Jeff sofreu um acidente com uma bicicleta de montanha, ficando paralisado do pescoço para baixo, com um pouco de movimento nos braços e pulsos.

Antes do implante, o cozinheiro precisava de ajuda para se levantar da cama todas as manhãs, mas agora consegue realizar as suas tarefas rotineiras sem precisar de a ajuda de ninguém. Jeff até já cozinha sozinho, recorrendo a equipamentos especialmente desenhados para si. “Mais cedo ou mais tarde vou ter que voltar para a universidade para começar uma nova carreira”, disse.

Transplantes de Rosto já são possíveis

O que antes também ficava a par somente dos filmes de ficção científica, agora também já é realidade. Isso inclui o transplante de rosto.

Como é o caso da jovem Katie Stubblefield, de 22 anos, que teve seu rosto desconfigurado após uma tentativa de suicídio quando tinha apenas 18 anos.

Desde que recebeu o transplante, Stubblefield passou por três cirurgias de revisão e faz terapias física, ocupacional e de fonoaudiologia.

Os nervos que conectam seu cérebro aos seus novos músculos faciais ainda estão crescendo, então ela precisa fazer esforço para movimentar o rosto. Sua língua e boca ainda não funcionam bem. Ela também vai precisar tomar medicamentos imunossupressores para o resto de sua vida, ou até que um avanço científico anti-rejeição seja produzido.

Primeiro transplante do Brasil completa 50 anos

Voltando um pouco no tempo, o que parecia algo futurista está completando 50 anos em 2018.

No dia 26 de maio de 1968, o Brasil entrava no grupo de países pioneiros do transplante de coração.

Foi o caso do lavrador de Mato Grosso João Boiadeiro, codinome de João Ferreira da Cunha, que se tornara o primeiro brasileiro a ter o coração transplantado a partir de uma cirurgia no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

O que há por vir

Ainda não sabemos o que está por vir. Já sabemos que os atuais ganhadores do Prêmio Nobel já estão com estudos muito avançados para uma cura para o câncer.

O que sabemos é que, enquanto permitirmos que a ciência possa evoluir sem tantas restrições, com certeza teremos ainda mais evoluções no Futuro.

Como a tecnologia influencia as Vendas

Se você está lendo isso, provavelmente trabalha com vendas. E se trabalha com vendas, provavelmente, quer vender mais. Estou certo?

Aumentando as vendas utilizando a Tecnologia

Não é de hoje que recorremos à diversas ferramentas para facilitar nossa vida na hora de encantar nossos clientes.

Antes, vamos deixar bem claro que não existem milagres, e nada supera seu conhecimento de mercado e carisma próprios.

Mas, vamos combinar, o Whatsapp tornou muito mais próximo o contato com nossos clientes. Embora muitos de nós o utilizemos à exaustão e acabamos por espantar alguns clientes…

A Tecnologia como uma ferramenta de Vendas

Outro exemplo, levar um tablet para apresentar fotos e vídeos de nosso produto, utilizar o celular para fotografar um cartão de visitas ou uma informação importante são coisas que, hoje em dia são tão banais que nem pensamos nisso como algo tecnológico.

Mas, vamos pensar no seguinte: porque não cogitarmos o uso de aplicativos, além de hardwares, como nossos aliados?

Imagine você criando um app de entretenimento para seu público alvo, que ele possa ser utilizado nos momentos de lazer de seus clientes e, enquanto isso, fixar sua marca, produto ou serviço na mente dele?

Muitas empresas fazem isso hoje em dia…

Os Desafios dos Apps para as vendas

Eu vejo muita gente reclamando que as pessoas gastam horas e horas dando atenção para uma “telinha” e não prestam atenção ao que estamos falando.

Mas, eu vejo pouquíssimos vendedores aproveitando essa onda em seu favor. Você nunca imaginou que, de repente, seu cliente não está prestando atenção em você porque está “viciado” no game que o seu concorrente criou?

Pense bem nisso.

Mas, criar app é difícil e caro

Tem certeza? Com os avanços tecnológicos muitas startups surgiram com soluções muito simples para a criação de apps para diversas áreas.

Claro, não estou falando de apps extremamente elaborados, desses que vão ganhar prêmios no final do ano.

Mas, o que você quer? Ganhar um prêmio de melhor “adverApp” ou fixar sua marca na mente de seus clientes associando-a a algo leve e divertido?

Mas o que eu posso criar? Você deve estar se perguntando.

É só pensar fora da caixa, imagine que você tem uma petshop, porque não criar um app que avise a hora de passear com o bichinho? É algo que pode ser criado por qualquer desses programinhas que desenvolvem apps sem, sequer, precisar digitar uma única linha de código.

e esse é só um dos exemplos possíveis. Você pode criar um app que desperte o usuários com mensagens positivas. Ou um app que seja algum jogo simples onde o “herói” seja o mascote da sua empresa.

É só usar a imaginação e pensar em algo que seu cliente poderia se identificar, ou achar útil.

Voltando para o Hardware

Na década passada chegou a se tornar quase uma febre os “CD Cards”, que nada mais eram que mini CDs onde o lado impresso eram os contatos da empresa / vendedor, e o conteúdo dele era um portfólio dos produtos / serviços oferecidos.

Mas, porque não utilizar um smartWatch para isso hoje em dia?

Fica a dica. As possibilidades estão aí, basta utilizá-las!

Até a próxima

Desafios da Tecnologia

Todos os dias somos soterrados de informações sobre as novidades tecnológicas lançadas no mercado.

Qual a função da Tecnologia?

Mas, você já parou para se perguntar qual a função real da tecnologia, e por que ela evolui tão rápido?

O que nós notamos é, muitas vezes, uma sensação de frustração na hora de adquirir um novo gadget. Pois nunca sabemos se estamos adquirindo algo que, literalmente, amanhã já vai estar ultrapassado.

E, convenhamos, se você mora no Brasil SEMPRE vai pagar mais caro pelo mesmo produto quando comparado à um americano, inglês ou japonês…

Porém, não tem como fugir disso, pois a tecnologia tem a função principal de resolver um problema da forma mais simples possível. Só isso!

Mas por que é tão caro?

Na verdade, o preço é relativo e proporcional ao tamanho do problema que ele resolve. Infelizmente, no Brasil, a quantidade de impostos torna qualquer solução muito mais cara.

Mas, pense, se antes você precisava de fichas e encontrar um telefone público para se comunicar com alguém. Víamos filas de pessoas em “orelhões” nas épocas de férias. Imagine quanto você pagaria para fazer a mesma ligação de qualquer lugar, a hora que quisesse?

E por que muda tanto?

Então, pense em uma espiral fractal, onde a cada volta ela fica um pouco menor…

Essa é a analogia perfeita da distância entre o conhecimento necessário para se criar o primeiro telefone celular e, tempos depois, criar um celular com tela de toque e conexão com a internet.

Essa evolução também vai impactar na nossa vida cotidiana, pois o serviço que antes levaríamos um dia para concluirmos, agora conseguimos em uma hora.

Inicialmente a intenção era que utilizássemos o tempo restante em lazer. Mas, você consegue? Quem consegue?

O que ocorreu é que agora realizamos mais tarefas, e as tarefas que antes levávamos uma semana para realizar, hoje as concluímos em um dia.

Isso nos força à necessidade de outras ferramentas para facilitar ainda mais a conclusão dessas tarefas.

Essa nova necessidade por ferramentas cria, no fabricante da ferramenta, uma nova urgência, pois seus clientes acabaram ficando com mais pressa.

Maior a pressa, maior o estresse gerado para sanar esse problema e entregar todas as tarefas que acumulamos.

E quando isso acaba?

Na realidade, isso nunca acaba, o que precisamos levar em consideração é até que ponto é saudável acumular tantas tarefas.

E qual é a real utilidade social de fazermos tanta coisa e tão rápido?

Será que não estamos criando tanta urgência à toa? Sem, realmente, ser necessária tanta “eficiência”?

Isso é algo que a sociedade precisará debater em muito pouco tempo, ou corremos um sério risco de dedicarmos nossa vida a algo que, no fim das contas, foi inútil, e perdermos o que realmente importa na vida. Como um jantar com amigos, ou uma inocente brincadeira de esconde-esconde com nossos filhos.

Então, entendemos que, sem tecnologia, ainda estaríamos vivendo em uma sociedade arcaica e sem graça. Mas, precisamos refletir, Até que ponto a tecnologia nos faz bem, e até que ponto ela nos escraviza…